Acácio Catarino: simplicidade e grandeza

Tomada de posse de Acácio Catarino, em Abril de 1993, nas funções de presidente do IEFP  (Créditos: Arquivo da RTP)
Dentro da banalidade do nosso quotidiano, são muitos os lugares, momentos e pessoas que atravessam as nossas vidas E destas há as que consideramos vulgares e as excepcionais! É pela excepcionalidade de carácter e pela extraordinária capacidade de intervenção cívica que caracterizamos este Homem. A sua espantosa calma e tranquilidade não permitiam, à primeira vista, antever a quantidade de missões em que estava envolvido e a que dava pleno cumprimento.
Raros são os seres humanos que lutaram pela Paz de modo tão discreto, simples e silencioso – porém, tão determinado e concreto – como ele! De poucas palavras, mas de uma espantosa lucidez de pensamento e grande sabedoria, sabia ouvir como ninguém.  Era conhecido pelas suas excelentes sínteses. Depois de ouvir todos, anotava cuidadosamente todas as contribuições, não esquecendo ninguém na hora da apresentação das mesmas. Tinha uma atitude absolutamente inclusiva no trabalho que desenvolvia em função dos sem emprego e dos mais fragilizados socialmente. Concedia a palavra a todos e, no traçado das suas políticas sociais e de emprego, encontrava-se sempre reflectida, de forma claramente inovadora, a colaboração de desempregados, de trabalhadores e das entidades patronais e organizações afins. A sua disponibilidade para abraçar causas sociais era inexcedível!
Embora tivesse ocupado importantes cargos políticos ao longo da sua intensa vida de trabalho, não foi um homem mediático, fruto de uma sã modéstia e da profunda discrição que lhe eram peculiares. Entre as muitas missões que desenvolveu, destacam-se as de consultor para as Políticas Sociais da Casa Civil do Presidente da República  Jorge Sampaio, de secretário de Estado da População e Emprego (no III Governo Constitucional), de presidente da Comissão Executiva  do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), de presidente da CIME (Comissão Inter-Ministerial para o Emprego), de presidente da Cáritas Portuguesa, de membro da Comissão Nacional de Justiça e Paz, de presidente do Conselho para a Promoção do Voluntariado, de presidente da Mesa da Assembleia-geral da Fundação João XXIII e de tantos outros organismos e instituições particulares de solidariedade social (IPSS), tendo estado envolvido na génese ou na criação de algumas destas IPSS, bem como no desenvolvimento e acompanhamento da sua acção. Formado na área da Sociologia, pelo ISCTE, foi igualmente docente do ensino superior e um dos grandes especialistas portugueses na área da política social e do voluntariado.
Esse Homem a quem prestamos a nossa mais profunda homenagem é ACÁCIO FERREIRA CATARINO, natural da freguesia de Benedita, no município de Alcobaça, onde também deixou uma marca significativa das suas preocupações sociais. Abandonou a vida terrena, aos 86 anos, no passado dia 2 de Setembro, curiosamente, poucos dias antes da morte do Presidente da República que assessorou.
Que a sua vida e a sua valiosa obra sirvam de inspiração a governantes e a cada um de nós, enquanto cidadãos, no empenho de uma maior intervenção cívica e na procura de vias para uma maior igualdade e para que se concretize uma verdadeira justiça social.
Rosa Morais Pereira

Deixe um comentário