Em tempo de recolhimento

  • Post Category:Paz
  • Post Comments:0 Comments
Choro o Sol da Primavera
Que não me pode aquecer...

Choro o sorriso das camélias
À procura do meu sorriso...

Choro o canto da cotovia
Que não posso aplaudir...

Choro o meu abraço
Sem ninguém dentro...

Choro a minha cidade
Enrolada no silêncio...

Choro a saudade
Do aroma da liberdade...

Choro as vidas sem vida
Em tudo iguais à minha...

Choro a Humanidade
Predadora de si mesma...

Choro aquele nada, sem rosto
A querer engolir as nações...

É urgente que tu, PAZ
Venhas arrumar o mundo!
Queremos voltar a acordar
Não em lençóis de medo
Mas sobre metáforas de azul...

Zulmira Bento
(Abril de 2020)

Deixe um comentário